“Jamais vou permitir que os trabalhadores fiquem sem salário”, diz prefeito Dinha, após reunião com ex-funcionários da APMI

“Jamais vou permitir que os trabalhadores fiquem sem salário”, diz prefeito Dinha, após reunião com ex-funcionários da APMI

- Em Destaque

Após medidas adotadas pelo prefeito de Simões Filho, Diógenes Tolentino Oliveira, o popular, “Dinha”, junto à Procuradoria Geral do Município para salvaguardar verbas salariais, referente à folha do mês de dezembro/2019, dos ex-funcionários da Associação de Proteção a Maternidade e a Infância de Castro Alves (APMI), (relembre aqui), em entrevista na manhã desta segunda-feira, 20 de janeiro, o Gestor Municipal reforçou que “jamais vai permitir que trabalhadores fiquem sem salário”. Referiu-se, ao processo de negociação para quitar vencimentos de ex-funcionários da antiga empresa terceirizada que teve contrato encerrado no dia 30 de dezembro de 2019.

Na manhã de hoje, por volta das 10h, em Salvador, uma negociação composta entre Ministério Público do Trabalho, APMI, Prefeitura e Comissão de ex-servidores, foi iniciada por meio de uma audiência. Durante entrevista no início da tarde, Dinha prefeito explicou que já teria sido brevemente informado pelo procurador geral, Dr. Jarbas Magalhães, sobre a reunião, e que transcorreu de forma favorável, em relação ao planejamento que foi feito, e que desta maneira, o primeiro passo foi dado para que os ex-funcionários da APMI recebam o salário do mês de dezembro/2019.

“Mandei um veículo levar uma comissão dos trabalhadores, para que pudesse acompanhar a audiência, e nós fizemos questão que participassem, como faço questão que tudo seja feito de forma transparente”, disse.

Dinha reforçou ainda o respeito com todos e pontuou que tudo estará sendo feito para que a “dignidade dos trabalhadores seja preservada”. Nesta consciência, ele logo cedo, se dirigiu à sede da Secretaria de Saúde, atendeu ex-funcionários da APMI e dialogou para juntos buscarem alinhamento jurídico e preservar o direito do trabalhador.

Sobre o avanço iniciado para que os ex-funcionários recebam seus vencimentos, Dinha, destacou que a garantia destes direitos, se assemelha à forma como sempre tem se comportado, desde o início da sua gestão, em janeiro de 2017, “pagando salário em dia, colocando as dívidas do município de forma muito clara, mas negociando e cumprindo com o compromisso”.

“Quando assumi, todos sabem muito bem, a folha do servidor estava atrasada do mês de dezembro/2016, e nós pagamos a folha e desde janeiro de 2017, nós estamos cumprindo com todas as obrigações com o servidor público e não seria diferente com aqueles que fazem parte das terceirizadas. Vamos acompanhar porque entendemos que a prioridade é fazer com que todos possam ser respeitados e tratados de forma digna, e isto, é a garantir que eu procuro sempre dar, não só para aqueles que estão do nosso lado, ou que estão de uma forma direta ou indireta fazendo parte do processo de nossa gestão”, pontuou o alcaide.

Questionado se há pessoas ligadas a ideais oposicionistas, de “usar o fato para fazer política”, o prefeito Dinha, firme e categórico nas suas afirmações, rebateu, mas se colocou de forma clara o compromisso de preservar a dignidade dos cidadãos trabalhadores.

“A oposição que deixou salários atrasados, escola sucateadas, que deixou frota sucateada e diversas dívidas de quase R$ 400 milhões, a oposição que a todo tempo tem procurado mostrar uma realidade que não condiz com a verdade, que deixou os bairros abandonados ao longo de quase 30 anos, sem que houvesse benefícios, tentam utilizar deste momento e se aproveitar politicamente, mas tenho certeza, que os trabalhadores estão conscientes e demonstraram na reunião comigo, hoje, que não querem que “política participe disso”, mas querem seus direitos garantidos e tratados de forma digna e respeitosa, e isso, nós vamos fazer não somente neste caso, mas em qualquer outro caso que possa exigir a minha presença pessoal ou do nosso governo na busca da solução”, concluiu Dinha Tolentino.

 

Share Button