Quase 800 partos são realizados no Hospital de Simões Filho em 5 meses

Quase 800 partos são realizados no Hospital de Simões Filho em 5 meses

- Em Destaque

A maternidade do Hospital Municipal de Simões Filho (média complexidade) vem se tornando referência no atendimento pelos serviços de partos prestados às mulheres do município, Salvador e cidades da Região Metropolitana. De acordo com o novo diretor médico, Dr. Calixto Silva, de janeiro até maio deste ano, já realizou 795 partos, entre cesáreos e normais.

“Os números e as estatísticas que nós levantamos mostram que estamos com uma média de partos em torno de 145 partos/mês”, afirmou o diretor médico. Em entrevista à reportagem, Dr. Calixto pontuou que a equipe é formada por 2 obstetras, 1 neonatologista e 1 anestesista 24h. Segundo dados levantados, a média de 145 partos/mês, corresponde a quase 5 nascimentos por dia. Já a média do primeiro trimestre foi de 480 partos.

Dados deste ano, também apontam que a maioria dos bebês nascidos na maternidade de Simões Filho foram normais, sendo que somente 35% dos partos foram cesáreos.

“Hoje tenho orgulho de dizer que nossa maternidade não serve só para a população de Simões Filho, mas também para vários municípios da Região Metropolitana e até mesmo de Salvador, onde tem pessoas que saem de lá para vir ter o seu bebê aqui no Hospital Municipal de Simões Filho”, enfatizou Dr. Calixto Silva.

Ainda segundo o novo diretor médico que administra o Hospital Municipal, os partos normais apresentam vantagens sobre a cesariana. Entre elas, a de que a recuperação é muito mais rápida. “Em caso de parto normal, mãe e bebê têm alta em 24 horas. Já no caso das cesarianas, o prazo de permanência no hospital passa a ser de 48h”, destacou.

Com a média de 145 partos mensais, o percentual de óbitos fetais (dentro da barriga da mãe) e não-fetais (fora da barriga), corresponde de 2 a 3 partos. “Vamos melhorar a assistência das gestantes no pré-natal para tentar evitarmos que haja algum óbito fetal, com um acompanhamento específico para as gestantes desde quando elas descobrirem que estão grávidas, e que passam pelo acompanhamento na Unidades Básicas de Saúde (UBS), com médico, consulta com o obstetra, além da Unidade de Referência aqui no Hospital Municipal e com isto vamos tentar baixar este índice de 2 a 3 óbitos fetais/mês”, sinalizou Dr. Calixto.

Ele explica que os casos de óbitos fetais ou natimortos, geralmente acontecem porque as mães não seguiram orientações do pré-natal ou não fizeram as orientações conforme a Unidade Básica de Saúde. “Por isso estamos mostrando cerca de 2 óbitos fetais no mês, então temos em média de 145 partos com êxito e 2 a 3 óbitos fetais/mês na maternidade de Simões Filho”.

Dr. Calixto Silva disse ainda que todo acompanhamento comprova que a equipe médica trabalha com responsabilidade. “Temos uma equipe médica completa com 2 obstetra e 1 anestesista que trabalha 24h por dia”, acrescentou.

Ainda segundo relatório realizado pela direção médica, a equipe trabalha na rede cegonha com o objetivo de melhorar os serviços como acompanhamento pré-natal e assistência às gestantes, puérperas (pós-parto) e lactantes, mas, sobretudo, tentar evitar óbitos.

Parceria Prefeitura e APMI

“Hoje temos um prefeito (Dinha) e uma secretária (Poliana Venas) que fiscaliza e cobra e estou muito feliz em trabalhar aqui por ver que temos um prefeito ativo. Não tem horário para a secretária ligar para saber das necessidades, e isso é muito importante porque mostra que o prefeito e a secretária estão engajados na atenção da saúde da população, isso é fundamental para o município de Simões Filho”, concluiu o novo diretor médico, Dr. Calixto Silva.