Prefeitura vai retomar medidas em bairros de Salvador após avanço da Covid-19

Prefeitura vai retomar medidas em bairros de Salvador após avanço da Covid-19

- Em Destaque

O prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou nesta sexta-feira (27) que as medidas de proteção à vida serão retomadas nos bairros da capital baiana, sem fechar o comércio ou restringir a mobilidade. O motivo é o avanço da pandemia de coronavírus e o crescimento da taxa de ocupação de leitos de UTI.

Foto : Valter Pontes/Secom/PMS

Serão implantados testes sobre o coronavírus, higienização da calçada e distribuição das máscaras. O anúncio de quais bairros passarão por essas medidas será na segunda-feira (30), inicialmente com duas regiões.

Confira as medidas que serão tomadas pela prefeitura de Salvador:

Plano de Remobilização de leitos de Covid-19;

Elaboração do plano de imunização visando a logística e aplicação da vacina contra a Covid-19 na cidade;

Isolar e rastrear contatos (Projeto Salvador Protege);

Renovação do Reda – Covid-19;

Realização e acompanhamento do soroinquérito nos 12 distritos sanitários;

Acompanhamento das ações do plano de contigência;

Disponibilização da testagem domiciliar para casos especiais;

Acompanhamento das instituições de longa permanência de idosos;

Implantação de sistema tira-dúvidas (aplicativo/totem) nas unidades de saúde;

Mensagens via SMS sobre medidas de prevenção e controle do Covid-19 para os casos suspeitos notificados nos sistemas SIVEP GRIPE e ESUS;

Testagens de professores da ativa e alunos da rede municipal acima de 15 anos de idade;

Divulgação das medidas de prevenção nas aulas online (Agente Mirim Covid);

Criação de jogos interativos para divulgação de medidas de prevenção e controle do Covid-19;

Ampliação da testagem nos bairros com mais incidência;

Intensificar as ações da vigilância sanitária – visa, em relação ao cumprimento dos protocolos nos bairros com maiores incidências de casos;

Distribuição de cestas básicas em dezembro: 160 mil destinadas às crianças da rede escolar municipal, às creches conveniadas e as crianças do programa pé na escola; 5 mil para as organizações sociais, famílias com crianças com microcefalia e serviços sócio/assistenciais.

 

 

*Metro1