Agosto Lilás: Vítima de feminicídio com 68 facadas relata caso e ações de conscientização pedem fim da violência

Agosto Lilás: Vítima de feminicídio com 68 facadas relata caso e ações de conscientização pedem fim da violência

- Em Destaque

REDAÇÃO REDE IMPRENSA / Marcos Castelli

O mês de agosto é marcado pela criação da Lei Maria da Penha, promulgada no dia 07 de agosto de 2006. Com a continuidade de intensas ações que visam alertar e elevar o objetivo e importância da discussão sobre a violência contra a mulher, a Prefeitura de Simões Filho, no comando do prefeito Dinha Tolentino, através da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres, pasta que tem como titular, Andrea Almeida, promove o “Agosto Lilás” com a finalidade de fortalecer a campanha no mês de conscientização pelo fim da violência contra a mulher. O secretário de Governo, Edson Santana e o vereador Arnoldo Simões estiveram entre as personalidades políticas presentes no evento.

Na última quarta-feira, 07 de agosto, a SPM celebrou a passagem dos 13 anos em que foi sancionada a Lei Maria da Penha. A Lei surgiu com o objetivo de punir os crimes de violência doméstica contra a mulher e de lá para cá, avanços vêm sendo adquiridos e, nesse sentido, a Prefeitura de Simões Filho continua demonstrando sensibilidade pelo gênero feminino, tanto pelo resgate da pasta, após ter sido suprimida e tornar-se vista fortemente relevante. Entre os municípios baianos, Simões Filho possui um Centro de Referência de Atenção à Mulher (CRAM), construído através de recursos próprios da Prefeitura.

De acordo com o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), em balanço divulgado na última quinta-feira (07/08), o Ligue 180, canal para denúncias de violência contra a mulher, recebeu 72.839 notificações apenas no primeiro semestre deste ano no Brasil. A violência física em todo o país, foi o crime mais registrado no período, com 34 mil casos, seguida da violência psicológica, com 24.378, e da violência sexual, correspondendo a 5.978 casos.

Com 13 anos de história, a lei recebeu o nome em homenagem à farmacêutica Maria da Penha, que passou anos sofrendo agressões por parte do ex-marido, chegando a sofrer três tentativas de homicídio, e até ficar paraplégica. Após anos de agressão, Maria da Penha conseguiu denunciar o agressor, e isso se tornou um marco na história do país. Neste período de pouco mais de uma década, o número de denúncias cresceu 86% desde a sua sanção e continua crescendo anualmente.

Em comemoração aos 13 anos da Lei Maria da Penha, em Simões Filho, o ‘Agosto Lilás’, a pasta da Mulher fomenta os debates sobre a violência e durante os encontros, apresentam os avanços e conquistas obtidos, além de esclarecer dúvidas e, sobretudo, incentivar a sociedade em abraçar o movimento de proteção e enfrentamento à violência, e que em cuja finalidade alcance cada vez mais a diminuição dos índices contra o público feminino.

CASO ISABELA CONDE

Na última quinta-feira, 08 de agosto, no auditório da SEDESC, o “Agosto Lilás” teve como principal foco conscientizar a população simõesfilhense sobre a violência e trouxe como convidada a fisioterapeuta Isabela Oliveira Conde, vítima de tentativa de feminicídio com 68 facadas, a mando do ex-namorado. O encontro também contou com intervenções da secretária Andrea Almeida e servidoras da secretaria como a advogada Leila que falou sobre conquistas e a Lei Maria da Penha. 

 

Durante relato, o público presente, em especial as mulheres conheceram o triste caso vivenciado pela fisioterapeuta, quando no dia 28 de fevereiro deste ano, a tentativa de feminicídio teve repercussão nacional.

Isabela Conde sofreu tentativa de feminicídio com 68 facadas em janeiro deste ano a mando do seu ex namorado.
Isabela Conde e a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Andrea Almeida

O ex-namorado da vítima, identificado como Fábio Barbosa Vieira e outros dois rapazes, Alex Pereira dos Santos e Adriano Santos de Jesus, foram buscar a fisioterapeuta no trabalho. Dentro do veículo, os dois amigos que estavam no banco de trás desferiram 68 facadas, a pedido do ex-namorado. Os três suspeitos do crime estão presos.

Isabela Conde, contou que viu a morte de perto, entretanto, a sua total confiança foi colocada nas mãos de Deus, e em todo tempo, se lembrava da sua filha. Ela foi abandonada em uma estrada e ainda sem forças e lavada de sangue tentou pedir ajuda, quando foi levada para um hospital por um homem que a ajudou.

“Precisamos quebrar o silêncio, unir forcas e fortalecer a rede de proteção às mulheres, incentivando o seu protagonismo na sociedade. Seguimos trabalhando no sentido de incentivar a proteção, a igualdade, o respeito e o diálogo nas relações domésticas e, sobretudo, denunciar às autoridades sempre que uma mulher for vítima de qualquer tipo de agressão”, enfatiza a titular da pasta da Mulher, Andrea Almeida.

Na próxima sexta-feira, 16/08, às 14h, no auditório da SEDESC, a Prefeitura de Simões Filho por meio da SPM avança com ações relacionadas ao “Agosto Lilás” e promove uma palestra sobre o Direito da Família e que tem como convidado, Dr. Pablo Stolze – Juiz do Juizado Especial.

VEJA MAIS FOTOS 

Compartilhar: